terça-feira, 21 de julho de 2015

Contran decide tornar simulador obrigatório, a pedido de autoescolas

Autoescolas terão até 31 de dezembro para se adaptar. Inicialmente, exigência valerá para quem tirar habilitação para carro, categoria "B".


O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) informou nesta segunda-feira (20) que decidiu tornar obrigatória a utilização do simulador de direção veicular nos centros de formação de condutores (CFCs). O pedido da volta da obrigatoriedade partiu dos Detrans de todo o país.

Segundo a resoução publicada nesta segunda, as autoescolas terão até 31 de dezembro para se adaptar.

Inicialmente, a determinação vale para os que vão dirigir carros de passeios, na categoria B. Numa segunda etapa, será obrigatório o uso do simulador para quem dirigir veículos comerciais, caminhão, ônibus e motos.

Assim, os candidatos à obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou aqueles motoristas que irão mudar de categoria serão obrigados a fazer, no mínimo, 5 horas/aula, de simulação, sendo uma com conteúdo noturno. 

Ao todo, são necessárias 25 horas ao volante para tirar a carteira de motorista na categoria B. A carga horária aumentou em 5 horas no ano passado, também por determinação do Contran.

Segundo o Ministério das Cidades, ao qual o Contran é vinculado, as aulas no aparelho deverão ocorrer após o aluno ter feito o curso teórico e antes de iniciar a prática nas ruas.

A Resolução Nº 543, que trata do tema, foi publicada no Diário Oficial da União nesta segunda e descreve o conteúdo das aulas no simulador. 

Vai e volta
Até agora, diz o ministério, somente os estados do Rio Grande do Sul, Acre, Paraíba e Alagoas exigem as aulas nos simuladores.

O uso do aparelho deveria ter se tornado obrigatório para a categoria B em 2013, após as autoescolas terem tido um prazo para adquirir ou alugar o equipamento. Mas a data de validade foi adiada até que, em junho de 2014, o Contran decidiu que o uso do aparelho na formação de novos motoristas seria opcional.

O presidente do Contran, Alberto Angerami, diz que o simulador pode ajudar a reduzir acidentes. "Já tivemos bons resultados nos Estados que aplicaram a medida, principalmente no Rio Grande do Sul, onde foi registrada redução do número de acidentes após a obrigatoriedade do simulador", afirmou.

Fonte: Auto Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário