sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Saiba como cuidar dos seus faróis

O sistema de iluminação do veículo deve ser checado a cada dois anos ou 20 mil km. Se for preciso trocar peças, o custo parte de R$ 20, no caso das lâmpadas alógenas, e pode passar dos R$ 4 mil, caso seja necessário substituir o farol completo. O motorista flagrado rodando com o conjunto defeituoso, fica sujeito a cinco pontos na CNH, além de ter de pagar multa, que vai de R$ 86,13 a R$ 127,69, conforme o caso.

Entre os fatores que interferem na durabilidade das lâmpadas, está rodar por ruas esburacadas, o que também pode desregular o facho dos faróis. Nas oficinas especializadas, o valor médio para a regulagem é de R$ 25. Há estabelecimentos que fazem o serviço gratuitamente, normalmente para clientes antigos ou quando o dono do carro estiver realizando uma revisão geral.

Outro ponto importante para não comprometer o sistema elétrico é utilizar lâmpadas compatíveis com a capacidade determinada pela montadora do veículo e permitida por lei, que são as de 60W para o farol alto e de 55W para o baixo. É contra a lei e perigoso instalar kits com lâmpadas de xenônio, por exemplo.

“Pode haver o derretimento de componentes do farol e, principalmente, sobrecarga elétrica, com superaquecimento da fiação, queima de fusíveis e redução da durabilidade da bateria” explica o gerente de marketing da Magneti Marelli, que fabrica sistemas de iluminação, Estevam Barna.

A instalação de luzes de LEDs não originais também pode causar problemas. Isso porque, como o componente utiliza baixa carga de energia, é comum a central eletrônica do veículo “entender” que as lâmpadas estão queimadas. 

TROCA 

Se for preciso trocar o farol inteiro, em caso de quebra, por exemplo, os custos podem ser altos, principalmente no caso de modelos importados. Trocar o kit completo de um A1, por exemplo, sai por cerca de R$ 3.900 nas concessionárias da Audi. Isso sem contar o valor da mão de obra, de R$ 580.

Nenhum comentário:

Postar um comentário