terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Calibragem do pneu garante segurança e evita dano mecânico

A determinação para a calibragem dos pneus vem do fabricante. Esse é um valor variável que muda de acordo com o número de passageiros do veículo, de bagagens e do tamanho do aro. Mas um ponto é o mesmo para todos os motoristas: os pneus devem sempre estar calibrados para garantir a segurança e evitar prejuízos mecânicos.

As especificações para as rodas dianteiras e traseiras normalmente vêm marcadas em três lugares: no manual do veículo, na tampa de combustível e na porta. Isso pode variar um pouco de modelo para modelo, mas essas indicações sempre estão em lugares visíveis. Siga exatamente o que é recomendado pela montadora. A calibragem deve ser feita uma vez por semana ou, no máximo, a cada 15 dias.

Para o motorista, o maior problema dos pneus descalibrados é a perda de estabilidade e trepidações no volante. Para o veículo, a baixa pressão provoca desgaste prematuro de peças da suspensão e dos próprios pneus. Além disso, há gasto excessivo de combustível. 

Acima da pressão 

Não é somente a baixa pressão que causa problemas nos pneus. Encher além do que é recomendado é outro erro. O excesso de pressão provoca o desgaste excessivo da banda de rolagem e prejuízos para o alinhamento do carro.

Outra dica importante é nunca calibrar os pneus depois de um longo trajeto. A alta temperatura faz com que eles se dilatem, assim omitindo o número real da pressão do interior da borracha.

Fonte: Terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário