terça-feira, 12 de novembro de 2013

Próximo ao fim do prazo, autoescolas do Estado ainda estão sem os simuladores

O prazo para instalação do Simulador de Direção Veicular para habilitação “B” (automóveis comerciais leves) em todas as autoescolas do País expira no dia 31 de dezembro, conforme determinação do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). No entanto, os donos dos Centros de Formação de Condutores (CFC) ouvidos pela reportagem aguardam ainda a regularização de uma portaria estadual para, enfim, instalar o equipamento com as normas exigidas pelo Conselho. 

Este já é o terceiro prazo dado pelo órgão nacional. O Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE), informou, por meio de nota, que o prazo vigente permanecerá. Ao todo são 279 autoescolas no Estado, porém não há registro do quantitativo de empresas com simulador instalado. Até o fim deste mês, o Detran-PE vai apresentar um sistema com detalhamento das empresas regulamentadas. A partir de janeiro do próximo ano essa nova obrigatoriedade será cobrada pelo órgão.

Segundo o proprietário da Auto Escola Ctran, Ygor Valença, a compra do equipamento só pode ser feita com três empresas credenciadas ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). “O grande problema é que as empresas estão sem saber quais procedimentos devem ser tomados. Para ser ter uma ideia, tem empresa que não dispõe do espaço físico e nem da verba para investir”, comentou Valença. No mercado, o simulador veicular chega a custar R$ 38 mil, preço de um carro popular.

Sobre a compra com fornecedores, o Detran-PE explicou que “os simuladores são produzidos e vendidos por empresas homologadas pelo Denatran e que os Centros de Formação de Condutores já podem adquiri-los, de forma a atender à data específica para a nova implantação da carga horária obrigatória”.

Em relação ao prazo dado pelo departamento, Ygor Valença enfatizou: “As empresas fornecedoras precisam de um prazo médio de 90 dias para entrega. Ou seja, se pedirmos agora, mesmo sem a regulamentação, não haverá tempo hábil para instalação deste serviço”. Para o dono da Auto Escola Torre, Evandro Lins, as exigências são verdadeiros entraves. “Uma delas é o fato de precisar de uma sala de 30 metros quadrados para instalação e nem todas têm”, disse. Evandro possui no espaço físico da empresa apenas uma sala para as aulas teóricas. “Vou ter que providenciar outra”, observou.

Já o dono do grupo Auto Escola, Jorge Viana, contou que a negociação para compra do equipamento já está em andamento com uma empresa paulista. “Queremos ver se há possibilidade de formar uma cooperativa”. Ele disse está aguardando uma posição do Detran para concretizar o investimento de R$ 60 mil, que segundo ele, inclui sala, funcionários e biometria. Em relação ao investimento e o fato de ter que repassar os custos o proprietário foi categórico: “Vamos ter que repassar para alguém e, nesse caso, será para o consumidor”, antecipou.

Fonte: Blog do Gonzaga Patriota / Folha PE

Um comentário:

  1. E complicado, os órgãos competentes do governo diz que com a implantação do simulador de direção veicular o aluno irá se sentir mais qualificado para se porta no transito e diminuirá os Índices de acidentes.
    ai eu te pergunto, vamos dizer que eu tenha um candidato, que queira se habilitar só na categoria 'A" (moto), o mesmo não terá que passar por aulas de pilotagem no simulador, dai eu posso afirma nos que somos cidadãos de bem trabalhamos para enriquecer parentes de políticos que estão por traz deste projeto com certeza...

    ResponderExcluir