segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Baixa quilometragem pode esconder painel adulterado

Se você vai comprar um carro usado, não leve em consideração somente a quilometragem no painel. Apesar de irregular, a adulteração do hodômetro é fácil de fazer e comum no mercado. É fundamental checar outros itens que podem indicar o desgaste do automóvel.

Luís Neca, gerente da Checkauto, empresa especializada em vistorias automotivas, explica que as ocorrências com relação à adulteração de hodômetros têm sido um dos principais pontos de alerta. “Um veículo pode ter sua quilometragem adulterada facilmente. Isso normalmente acontece com os bens que já possuem maior tempo de uso. Por consequência, quem opta por adquirir um carro sem verificar esse item, corre o risco de pagar uma conta absurda no final”, afirma.

Ele diz que ainda é preciso fazer um trabalho profundo para conscientizar o consumidor brasileiro sobre esse problema, e minimizar os riscos ao fazer uma compra sem verificar a restrição. “O mercado precisa ser melhor abastecido com informações a respeito do problema, sabendo, inclusive, que a prática é crime”, ressalta Neca. 

Sinais de desgaste 

Na hora de comprar um carro usado, primeiro passo é escolher uma loja ou uma concessionária de confiança. Se a quilometragem parecer muito baixa na comparação com o ano do automóvel, desconfie. O desgaste nos bancos, no volante e nos pedais, por exemplo, podem ser um indicativo de que essa conta não fecha. A pintura gasta é outro sinal de que o carro pode ser alvo de adulteração da quilometragem.

Caso você tenha desconfiança da procedência do veículo, uma alternativa é procurar empresas especializadas que fazem uma vistoria na mecânica e documental do veículo. Esse check list profissional inicialmente gera um custo extra, mas pode evitar transtornos futuros.

Fonte: Terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário