terça-feira, 1 de outubro de 2013

Óleo do motor fica velho e deve ser medido com carro frio

As práticas envolvendo o óleo e os prazos de troca são cercados de mitos. O lubrificante está para o carro como o sangue está para pessoas, ou seja, é fundamental. Por isso, se você ainda tem dúvida, confira os dez itens abaixo. 

Óleo certo 

Não caia nessa de que você pode colocar qualquer óleo no motor do seu carro. As fábricas gastam meses e meses de pesquisa para saber qual o lubrificante que tem melhor desempenho para o motor. Não invente. Na hora da troca, use o óleo específico que está escrito no manual do proprietário, preferencialmente da marca recomendada. Se não encontrar a mesma marca, use um lubrificante com a mesma composição e mesma viscosidade. 

Óleo do motor baixa 

Sim, mesmo em motores em boas condições o óleo baixa. Não há motivo para preocupações. As montadoras consideram normal baixar de meio litro a um litro de óleo a cada 1 mil quilômetros rodados, dependendo do modelo. Por isso, é preciso completar o óleo entre as trocas. 

Medir só frio 

Essa pouca gente sabe. O nível do óleo deve ser medido com o motor do carro frio, preferencialmente após 10 minutos de desligado. É que com o motor quente o óleo ainda não desceu todo para o reservatório e pode dar uma falsa impressão de que o nível está baixo. 

Trocar o filtro 

Sempre que trocar o óleo, conforme o prazo estipulado pela montadora, troque também o filtro do óleo. Isso irá garantir que seu motor não fique impregnado por impurezas. 

Nível correto 

A regra é simples. O nível do óleo correto é entre o mínimo e o máximo da vareta. Em qualquer estágio entre as marcas. Ao contrário do que muitos pensam, o nível não precisa estar no máximo. Cuide para não colocar óleo além do nível recomendado. O motor poderá ter vazamentos. 

Óleo preto 

Esqueça aquela história de que óleo preto significa que está velho. Pelo contrário, se está preto é porque está lubrificando corretamente. O que vale são os prazos de troca que constam no manual do proprietário. 

Aditivos no óleo? 

Quase todas as montadoras não recomendam o uso de aditivos no óleo. Algumas, inclusive, alertam que o motorista pode perder a garantia se usar aditivos em carros novos. É preciso consultar o manual do seu carro para saber se a montadora autoriza ou não o uso de aditivo. Geralmente os óleos recomendados pelas montadoras já são compostos pelos produtos de limpeza presentes nos aditivos. 

Motor quente na troca 

É melhor que o motor do carro esteja quente na hora da troca. Assim, o óleo ficará mais fino e irá escorrer com mais facilidade. 

Óleo engarrafamentos 

Quase todas as montadoras recomendam antecipar a troca de óleo em carros com “uso severo”. Isso vale, principalmente, para veículos que andam muito em engarrafamentos. Ou seja, o motor fica funcionando mesmo com o carro parado. Por isso, a quilometragem de troca precisa ser antecipada. 

Óleo fica velho? 

Sim, óleo fica velho. Caso o motorista rode pouco e não alcance a quilometragem estipulada para a troca, precisa substituir o lubrificante após seis meses. Depois desse prazo, o óleo velho pode prejudicar a bomba de óleo, que é a responsável por manter em dia a lubrificação do motor do carro.

Fonte: Terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário