domingo, 22 de setembro de 2013

Aditivo no óleo do motor pode comprometer garantia

Os motores dos carros foram projetados para funcionar com um tipo específico de óleo recomendado pela montadora. Ponto. Qualquer aditivo oferecido para ser misturado ao lubrificante deve ser rejeitado. Eles não são indicados pelas fabricantes de veículos e, no caso dos carros novos, podem trazer complicações.

Sim, se você ler com atenção o manual do proprietário do carro verá que as montadoras dizem que problemas no motor provocados por aditivos misturados ao óleo irão provocar a perda da garantia. Conforme Edmilson Santos, consultor técnico da Castrol Brasil, aditivos complementares nunca devem ser usados no motor. “Além de terem preços superiores e não terem eficácia comprovada, não são recomendados pelos fabricantes dos equipamentos”.

A promessa dos aditivos é auxiliar na limpeza do motor a facilitar o atrito das peças. Mas as montadoras dizem que os lubrificantes originais já têm componentes para manter o motor limpo. Qualquer uso extra pode danificar o veículo em vez de proteger. Por isso, se as trocas de óleo forem feitas nas datas certas e o filtro de óleo também for trocado, o aditivo torna-se dispensável. 

Trocas 

Se você tem dúvida sobre as trocas de óleo, consulte o manual do seu carro. O prazo de troca é recomendado pelo fabricante, mas geralmente ocorre em média a cada 10 mil quilômetros ou seis meses de uso. Não esqueça, quando trocar o óleo é fundamental trocar também o filtro de óleo.

Lembre-se também que o óleo pode baixar 1 litro a cada 1 mil quilômetros rodados. É fundamental, portanto, conferir o nível uma vez por semana e completar em caso de necessidade. A verificação deve ser feita sempre com o carro em lugar plano e com o motor frio, pelo menos 10 minutos após desligado.

Fonte: Terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário