quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Estudo inédito revela as causas dos acidentes com motos

Quando se fala em acidentes de trânsito envolvendo motocicletas, os números são evidenciados, mas, o que está por trás das estatísticas? Em outras palavras: quais são as causas reais dos acidentes? Para responder a essa pergunta, a Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), o Hospital das Clínicas e a Abraciclo, associação que representa as fabricantes de motocicletas do país, se uniram para produzir um estudo científico sobre o assunto.

A amostragem recebeu informações de 326 vítimas no período entre fevereiro e maio deste ano, na zona oeste da capital paulista. Peritos iam até o local do acidente para analisar o caso e as vítimas eram entrevistadas nos hospitais. A primeira constatação foi: “O comportamento de risco do motociclista e a falta de respeito e visibilidade do motorista foram os fatores que mais contribuíram para a ocorrência do acidente”, diz o estudo.

O grupo considerado de risco é homem, adulto jovem, classe média baixa e usuários da moto como meio de transporte. 73% usam o veículo de duas rodas para fazer o seu transporte e 23% a trabalho.

Um dado alarmante foi a relação entre álcool, droga e condução. Em 21,3% dos casos as vítimas estavam com o comportamento alterado. Ou seja, uma em cada quatro pessoas pilotava sob efeito de substâncias proibidas.

A pesquisa revela ainda que 18% dos acidentes foram causados por problemas nas vias (condições do piso e sinalização). O mau estado de manutenção da motocicleta foi a causa de 8% dos acidentes. Os itens de pior conservação foram pneus e freios.

Com base nas informações coletadas, os peritos detectaram que em praticamente metade dos casos (49%) a motocicleta provocou o acidente e em sua grande maioria pelo fator imprudência (88%). A outra parcela de culpa (51%) dos acidentes foi causada por outros veículos e mais uma vez a imprudência (84%) foi a principal razão.

Em um panorama geral, as causas dos acidentes são divididas da seguinte forma: 37% motociclistas, 37% motoristas, 18% via e 8% veículo.

Para ver a pesquisa na íntegra, acesse o site da Abraciclo (abraciclo.com.br).

Um comentário:

  1. eduardo de frança5 de setembro de 2013 23:24

    E lamentável essa estatística porem muitos acidentes poderiam e podem ser evitado usando o bom senso e principalmente o respeito no transito.

    ResponderExcluir