sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Água do radiador pode baixar, mas tem limite


Se o frentista do posto disser que a água do radiador do seu carro está baixa, não há motivos para desespero. O fluido do sistema de arrefecimento (água e aditivo) costuma baixar mesmo, mas é preciso avaliar a quantidade a ser reposta. É importante diferenciar a perda normal de vazamento.

Na maior parte dos carros é tolerada uma pequena baixa no nível, explica Pedro Luiz Scopino, consultor técnico e diretor do Sindirepa, o Sindicado dos Mecânicos de São Paulo. “O normal seria não baixar nunca. Mas há sistemas que tem pequena perda por evaporação, o que podemos considerar comum completar o líquido entre as marcas mínimo e máximo em até 200 ml em uma semana”, diz.

Caso o veículo esteja baixando mais do que essa quantidade por semana é bem possível que exista algum vazamento no sistema, que pode ser através das mangueiras, selos, juntas ou até mesmo pela tampa do reservatório, que deve ser trocada a cada 30 mil quilômetros. Nesta situação é preciso procurar um especialista. Motor sem água pode supeaquercer e, em último caso, até fundir. 

Motor frio
Mas preste atenção na hora de verificar o fluido de arrefecimento. O nível deve ser medido sempre com o motor frio, pelo menos 10 minutos após desligar. Caso contrário, a água ainda pode estar circulando no sistema e por isso a medida não será correta. Além disso, não é aconselhável abrir a tampa do reservatório logo após desligar o veículo. Há risco de espirrar água quente.

Para o bom funcionamento do sistema de arrefecimento é fundamental manter em dia o aditivo do radiador misturado à água. Feito à base de monoetilenoglicol (substância que aumenta o ponto de ebulição e diminui o ponto de congelamento da água), ele é recomendado pelas montadoras nos carros novos. Elas também indicam o prazo da troca, que geralmente fica em 30 mil quilômetros rodados ou um ano.

Fonte: Terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário