segunda-feira, 22 de julho de 2013

Trincas e amassados nas rodas trazem risco ao motorista

Motoristas não sabem o risco que correm ao insistir em usar rodas amassadas ou trincadas. O perigo aumenta ao enviar essas rodas danificadas para a retífica, escondendo os problemas e não solucionando o defeito, pois o processo de recuperação deixa a roda bonita e limpa, como se fosse nova, mas muitas vezes maquia defeitos que podem provocar graves acidentes. Por isso, montadoras e fábricas de rodas recomendam sempre a troca em caso de rachaduras ou torturas.

Os buracos, tão encontrados nas ruas e estradas brasileiras, são os principais responsáveis pelos danos à roda. O impacto em um buraco pode causar os mais diversos tipos defeitos: trincas, amassados e até a quebra total.

Após ser afetada pela ruptura, a estrutura da roda não tem a mesma resistência e a qualidade do material não será a mesma. Os procedimentos mais comuns são os de soldas nas rupturas e a utilização de um torno mecânico para tirar o excesso da solda e em caso de amassados, aquecimento da área com um maçarico e um serviço com martelo, desamassando a área prejudicada.

O grande problema é que nem sempre isso acaba com o problema. Muitas empresas não têm os equipamentos corretos para identificar se o problema foi solucionado. Nem sempre desamassar ou soldar são os procedimentos corretos. É necessária uma profunda análise na roda inteira para verificar se não existem outras microfissuras que comprometem a estrutura.

Os riscos de utilizar uma roda reformada são os danos a outras partes de veículo (suspensão, freio) além do principal e mais perigoso, a quebra da roda em movimento! Mantenha em dia o alinhamento das rodas e aproveite para verificar se existe algum dano. Rachaduras ou torturas evitam que o pneu mantenha a calibragem correta.

Fonte: Terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário