sexta-feira, 12 de julho de 2013

Fluído errado nos limpadores pode danificar palheta

Não é recomendável colocar no recipiente do limpador de para-brisa qualquer líquido com sabão. Além de danificar componentes, o uso incorreto desses produtos pode trazer outros problemas.

Chefe de assistência técnica de autopeças para o mercado brasileiro da Bosch, Daniel Lovizaro, esclarece que no recipiente do limpador só devem ser usados água e/ou produtos especialmente fabricados para este fim, vendidos em casas especializadas em produtos automotivos.

Daniel alerta que o uso produtos de limpeza caseiros, como sabonete líquido, detergente ou sabão em pó são prejudiciais ao carro. “O uso de produtos ou misturas caseiras, além de acelerar o processo de desgaste da palheta, causam também o ressecamento dos tubos de borracha que levam a mistura até o borrifador, fazendo com que o proprietário do veículo tenha de executar a troca da tubulação”, disse.

É mais grave ainda usar de produtos químicos. “Além de causar todos os efeitos citados anteriormente, com mais intensidade, produtos químicos como querosene e gasolina causam contaminação do reservatório e em alguns casos, problemas na pintura” explicou Daniel.

O recomendado é trocar as palhetas do limpador de para-brisa uma vez por ano. Mas, caso o uso seja mais frequente, a borracha pode se deteriorar mais rapidamente e a substituição precisa ser antecipada. Para saber quando se precisa fazer a mudança, é preciso observar se a qualidade cai.

O desgaste pode afetar a segurança de quem está no veículo. Uma palheta desgastada pode fazer com que o sistema do braço do motor elétrico responsável pelo movimento de vai e vem do limpador tenha um esforço maior, o que gera uma sobrecarga que pode até causar a paralisação do equipamento.

Fonte: Terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário