segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Motoristas usam truques para tentar driblar o bafômetro

A Lei Seca  mais rígida estimulou a criatividade de motoristas infratores para tentar enganar o bafômetro. Mas a polícia explica que esses truques não funcionam.
A blitz é no meio da tarde e com bafômetro. A Polícia Militar já percebeu que a imprudência acontece a qualquer hora do dia.

“Todo dia ligamos a televisão e vemos barbaridades acontecendo em nosso país”, diz um policial.

Apesar do rigor da Lei Seca e das campanhas de orientação, ainda tem muito motorista dirigindo depois de beber. Aí eles fazem de tudo para tentar disfarçar os efeitos do álcool e não serem apanhados em fiscalizações, que se tornaram mais frequentes.

As táticas incluem tomar café, mastigar chiclete, gelo e até jornal, como conta um rapaz que não quis aparecer. “O tipo de papel hoje é o jornal. Mastigando o papel, ele acaba tirando o odor do álcool”, afirma.

A polícia diz que os truques não diminuem os efeitos do álcool no organismo e que o bafômetro vai apontar se a pessoa ingeriu bebida alcoólica.

"Tudo isso podemos dizer que é mito”, assegura uma policial.

No desespero, tem motorista apelando também para as farmácias. As novas regras da Lei Seca, que estabeleceram tolerância zero no trânsito, fizeram aumentar a procura por remédios indicados para acelerar o metabolismo do álcool. Mais um mito, de acordo com os farmacêuticos.

“De maneira alguma ele vai diminuir a concentração do que você tomou ou mascarar o álcool que você vai exalar ou restabelecer seus reflexos de maneira instantânea”, a farmacêutica Ana Carolina Teixeira.

Além de não fazer o efeito desejado, tem ainda o risco da automedicação.

“Tomar medicamento sem prescrição médica, sem receituário, é muito perigoso para a saúde”, alerta a farmacêutica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário