quarta-feira, 20 de junho de 2012

Confira guia de segurança para que motoristas não sofram com a chuva

Esses dias são conhecidos como aqueles em que você não quer sair da cama. Quando a chuva está caindo no Recife, o calor dá um descanso para todos. Mas o ônus por essa situação são ruas muitas vezes alagadas, representando risco de acidentes

Nem a experiência adquirida com os 17 anos como piloto de motocross impediu que o comerciante Francisco dos Santos, de 62 anos, se acidentasse com a moto num dia de chuva. “O asfalto estava escorregadio por conta da água. Os pneus travaram, a moto caiu e fui arrastado com ela por cerca de 50 metros”, conta. “Acho que o acidente aconteceria de qualquer jeito. Mas também acredito que a chuva teve boa culpa no que aconteceu”.

Para que você fique mais protegido contra acidentes provocados pela chuva, o Vrum/Diario de Pernambuco preparou dicas sobre como dirigir ou pilotar em dias de céu nublado. Se ligue nos conselhos e fique mais seguro no trânsito.

Como se proteger


Luz e distância
Ver e ser visto é regra básica na direção defensiva, principalmente em dias de chuva, em que a visibilidade fica reduzida. O instrutor de direção defensiva da Cooperativa Especializada em Trânsito (Coopetrans), André Lira, diz que, em dias assim, ligar os faróis é essencial. “Quando a água lava o asfalto, os óleos que são derramados na pista formam uma camada que pode fazer os pneus deslizarem. Por isso, também é necessário se manter a uma velocidade inferior a que se usa em dias sem chuva”, diz. Com relação à distância que um carro deve manter de outro, André fala que, para a realidade do Recife em dias chuvosos, essa distância segura deve ser de cerca de dois segundos. “Basta ter como referência um ponto fixo, como uma árvore, e checar se o seu carro passa por esse ponto dois segundos após o veículo da frente”. 

Evitar a derrapagem
Mesmo se não estiver totalmente alagada, uma via pode ter poças isoladas. Essas concentrações de água podem pegar o condutor desprevenido e, nessas situações, o motorista pode querer pisar no freio de imediato, o que não é aconselhável. “Para evitar a aquaplanagem, o ideal é tirar o pé do acelerador e deixar o freio motor do carro agir, desacelerando o automóvel”, fala André Lira. “Se o carro derrapar, o motorista deve manter o volante reto”. Quem estiver de moto também deve desacelerar a máquina. Quem dá a dica é o instrutor do Centro Educacional de Trânsito Honda do Recife, Sérgio Cassoli. “Com as motos, é mais difícil acontecer a aquaplanagem, pois o pneu é mais fino e corta a água com mais facilidade. Mas, se ocorrer, a dica é manter o guidão retilíneo, para evitar quedas”, aconselha Sérgio.

De olho no pneu
Eles são de fundamental importância quando o asfalto está molhado. Mas, se estiverem carecas, problemas podem acontecer. “Quando os pneus estão assim, o atrito necessário para manter o veículo firme na pista não é criado. Os sulcos do item de borracha também farão com que a água da pista escoe, evitando a aquaplanagem”, diz Sérgio Cassoli. Por isso, é preciso ficar ligado nos borrachudos.

Para não ficar a ver navios
No Recife, quando chove, não é raro ver vias asfaltadas se transformando em pequenos oceanos. Nesses casos, o ideal seria parar. Mas se a necessidade de passar for extrema, a gerente da oficina Auto Forte, Renata Pires, fala que o condutor deve perceber se a altura da água não é maior do que a do cano de escape. “Se for, a água pode entrar no motor e fazer com que ele bata. Se não, engate a primeira marcha e mantenha aceleração constante enquanto estiver passando pelo alagamento”, aponta.

Vestimenta adequada
Quem sai de moto na chuva tem a desvantagem de não ter a proteção da lataria. Para compensar essa falta de proteção, o motociclista deve estar com roupas apropriadas. “Jaqueta e calça impermeáveis. Sem elas, as roupas do motociclista ficarão molhadas e a concentração dele estará comprometida”, afirma Sérgio Cassoli. E para a viseira do capacete não embaçar, a dica é deixá-la um pouco aberta. “Ela geralmente abre por estágios. Basta deixar a abertura do primeiro estágio e uma boa quantidade de ar fresco já impedirá o embaçamento”.

Pernas no tanque
Muitos motociclistas levantam instintivamente as pernas quando passam por poças de água para se manterem secos. O instrutor Sérgio Cassoli reprova a atitude. "Os joelhos devem sempre estar pressionando o tanque da moto. É melhor se molhar um pouco e manter a segurança", aconselha.

Desembaçar os vidros
Em compensação, apenas os carros podem ter problemas com vidros embaçados em dias frios. Nessas horas, ligar o ar-condicionado é o mais indicado. “Em veículos que não possuem o item, a ação defensiva é abrir um pouco os vidros. Vai molhar o interior do carro, mas a segurança deve estar em primeiro lugar”, diz o instrutor André Lira.

Ligado no limpador

Se o limpador de para-brisas estiver danificado, fica impossível se locomover com chuva. E como no Recife o dia pode começar ensolarado e terminar num dilúvio, é ideal sempre testar o item antes de sair de casa, diz o instrutor André Lira. “Quando a chuva começar, a velocidade do limpador deve ser diretamente proporcional à intensidade dos pingos”.

SAIBA MAIS
Código de Trânsito Brasileiro
Artigo 230 - XIX: dirigir o veículo sob chuva sem acionar o limpador do vidro dianteiro é infração grave, com multa de R$ 127,69 e mais cinco pontos na carteira de habilitação. A retenção do veículo para regularização ainda será feita como medida administrativa.

Artigo 250 - II: Quem estiver com o automóvel em movimento, sob chuva, com as lanternas do carro apagadas, estará cometendo infração média (multa de R$ 85,13, mais quatro pontos na habilitação).

Fonte: Vrum

Nenhum comentário:

Postar um comentário